Com a correria do dia-a-dia e as diversas responsabilidades que temos, é normal que, de vez em quando, nos sintamos ansiosos.

 

A ansiedade é uma emoção humana comum que nos ajuda a lidar com situações de stress e a tomar decisões importantes. No entanto, quando  se torna crónica e começa a afetar a nossa vida diária, é importante estar atento aos sintomas e procurar ajuda para lidar com esta condição.

 

Os sintomas de ansiedade podem variar de pessoa para pessoa, mas existem alguns que são mais comuns.

 

Preocupações constantes: pessoas com ansiedade têm a tendência de sentir uma preocupação constante e desproporcional em relação a situações comuns do dia-a-dia, tal como falar em público, ir ao médico, ou mesmo em relação à sua saúde e segurança;

 

Irritabilidade: a ansiedade pode deixar as pessoas irritadas e impacientes, o que pode levar a conflitos com amigos, familiares e colegas de trabalho;

 

Medo constante: as pessoas com ansiedade podem sentir medo constante, mesmo em situações que não representam uma ameaça real. O medo pode ser tão intenso que pode levar a ataques de pânico;

 

Insónias: A ansiedade pode causar dificuldade em dormir e em manter um sono tranquilo e profundo, levando ao cansaço e fadiga durante o dia;

 

Palpitações e sudorese: Quando estamos ansiosos, o nosso corpo produz hormonas que podem levar a palpitações cardíacas, sudorese excessiva e tremores;

 

Tensão muscular: A ansiedade pode fazer com que as pessoas se sintam tensas e rígidas, especialmente no pescoço, ombros e costas;

 

Problemas gastrointestinais: A ansiedade pode causar problemas gastrointestinais, como dor abdominal, diarreia ou obstipação;

 

Dificuldade para respirar: a ansiedade pode fazer com que a pessoa sinta falta de ar ou dificuldade em respirar profundamente, podendo sentir um aperto no peito ou respiração ofegante;

 

Tonturas: a ansiedade pode causar tontura ou vertigem, o que pode levar a sensação de instabilidade ou desequilíbrio;

 

Mudanças no apetite: a ansiedade pode afetar o apetite, fazendo com que a pessoa perca o apetite ou coma em excesso;

 

Dores de cabeça: a ansiedade pode causar dores de cabeça frequentes ou enxaquecas;

 

Alterações na pele: a ansiedade pode causar irritação na pele, eczema ou acne;

 

Alterações no ciclo menstrual: a ansiedade pode afetar o ciclo menstrual nas mulheres, fazendo com que os períodos se tornem mais intensos ou irregulares.

 

sintomas de ansiedade
sintomas de ansiedade

 

Se se identificar com alguns desses sintomas, é importante procurar ajuda médica. O seu médico poderá avaliar o seu estado de saúde geral, conversar consigo sobre os seus sintomas e sugerir os tratamentos mais adequados à sua situação.

 

Algumas pessoas com ansiedade podem precisar de medicação para ajudar a controlar os sintomas, enquanto outras podem beneficiar da terapia cognitivo-comportamental ou outras terapias que as ajudem a lidar com as suas emoções e pensamentos de forma mais saudável.

 

Enquanto aguarda pelo diagnóstico e tratamento, há algumas coisas que pode fazer para ajudar a aliviar os sintomas de ansiedade:

 

Pratique exercício físico: O exercício físico pode ajudar a aliviar a tensão muscular e a melhorar o humor. Experimente fazer caminhadas regulares, yoga ou outras atividades que goste;

 

Tente técnicas de relaxamento: a meditação, a respiração profunda e outras técnicas de relaxamento podem ajudar a acalmar a mente e o corpo;

 

Limite o consumo de cafeína e álcool: A cafeína e o álcool são estimulantes e podem agravar os sintomas de ansiedade, por isso tente limitar o seu consumo;

 

Durma o suficiente: ter uma boa noite de sono é essencial;

 

Estabeleça rotinas: yente estabelecer rotinas diárias, como horários de refeições e de sono, para ajudar a reduzir a incerteza e a ansiedade;

 

Aprenda a dizer “não”: é importante saber definir limites saudáveis e aprender a dizer “não” quando necessário para evitar sobrecarregar-se com responsabilidades e compromissos excessivos;

 

Fale sobre o que está a sentir: encontrar alguém com quem possa falar sobre os seus sentimentos e preocupações pode ajudar a aliviar a ansiedade e a obter o apoio emocional que precisa;

 

Evite a comparação com os outros: evite comparar-se ou a sentir-se inferior a outras pessoas. Lembre-se que cada um tem o seu próprio ritmo e circunstâncias (contexto);

 

Pratique a autocompaixão: cuide de si com compaixão e gentileza, em vez de se julgar constantemente e de forma negativa.

 

Em suma, a ansiedade é uma emoção humana comum e normal, mas quando se torna crónica e afeta a vida diária, é importante procurar ajuda médica.

 

Reconhecer os sintomas de ansiedade é o primeiro passo para obter ajuda. O seu médico poderá ajudar a avaliar a sua condição e sugerir tratamentos adequados, como medicação ou terapia.

 

Enquanto aguarda pelo tratamento, pode praticar exercício físico, técnicas de relaxamento, limitar o consumo de cafeína e álcool, estabelecer rotinas diárias, falar sobre os seus sentimentos e praticar a autocompaixão. Lembre-se que a ansiedade pode ser tratada e que é possível encontrar apoio e ajuda.